Quem sou eu

domingo, 5 de abril de 2015

EVA

Eva
                                                                                 
                                   “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei
                                                                         uma auxiliar igual a ele.”
                                                                                 
                                                                                              Genesis 2, 18. 22 – 24

Disse a Ti um dia o sim.
Disseste a mim: tu és mulher!
Bençãos me deste
e em todo o teste a mim imposto
saí vitoriosa.
Até reinei num paraíso...

Pueril, a todo tempo mostrei riso
e nesse riso me fiz rosa.
Explorei o chão que me foi dado
vi tudo o que ali havia
provei até do que não podia
-não me fora permitido provar.

Tu
temendo o desabrochar que me possuía
disseste: “pecadora, vai embora,
não serás mais a senhora
do jardim que preparei!”

Aquele momento de queda
eu nomino salvação para as minhas descendentes
insubmissas, conscientes,
sacerdotisas guardiãs da fábrica da vida
- presente sem medida para o mundo do amor.

Tua cria - Te louvei
Tua alma habitando em mim.
Me deste o conhecimento
da bondade, da malícia, da perícia em parir.

Não carrego culpa ou dor
dentro ou fora do jardim,
posto que onisciente
me soubeste pura e sã,
e eu Te sei meu conivente
no episódio da maçã.


Neuzamaria Kerner

O Livro-arbítrio das Evas
dentro e fora do jardim
EDITUS, 2014



Nenhum comentário: