Quem sou eu

domingo, 24 de junho de 2012

ERA UMA VEZ...




Uma cigarra,

mesmo quando o inverno inda se fazia

ela insistia em ficar atracada na viola

abraçando cantigas.

Aquele que passava sob a chuva que caía

via a cigarra fora de moda

cantando modas de amar.

O céu jogava água pra fora

encharcando a vida da beira ao centro .

Aquele que passava sob a chuva que caía

Via pela vidraça olhos chovendo
pra dentro.

Era uma vez...

Neuzamaria Kerner
Birigui - Ave Cristo - 22/06/2012




Um comentário:

Rodrigo Ferreira - ES/RJ disse...

Cigarra e viola estreitando sua relação de enamorar-se e deixando que as suas belezas interiores se manifestam em toda pureza até que as lágrimas caiam e brotem. Nada mais importa, apenas deixam que as almas (cigarra e viola) se comuniquem na sua essência e se amem.