Quem sou eu

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

BARTOLOMEU CAMPOS: + UM NO CÉU - UM NA TERRA


Bartô,
Além da minha gratidão pelos seus ensinamentos durante os trabalhos realizados nos programas de promoção da leitura, acolha as minhas preces e a certeza da minha admiração para sempre.

A PALAVRA NUNCA ESCREVE TUDO O QUE A EMOÇÃO SENTE.
QUANDO A DOR É MUITA EU ESCREVO (Bartolomeu fazendo referência à mãe que sofreu muito com um câncer, mas quando a dor era muita ela cantava, com a voz linda de soprano. Então do quintal quando ele ouvia a mãe cantar, sabia que estava doendo muito).
LER É SOMAR-SE AO MUNDO, É ILUMINAR-SE COM A CLARIDADE DO JÁ DECIFRADO. ESCREVER É DIVIDIR-SE.
LER É EVADIR-SE COM O OUTRO, SEM CONTUDO PERDER-SE NAS VÁRIAS FACES DA PALAVRA. LER É ENCANTAR-SE COM AS DIFERENÇAS.

Fragmento sobre a FOME.
(in de Não em Não. ed. Miguilim. MG, 1998)
(...)
Porque a Fome é forte e mata. Todos, quando pressentem sua chegada, buscam uma maneira de alimentá-la, sem demora. Perseguem trabalho, procuram campos, abandonam famílias, ganham calúnias, merecem suspeitas, assaltam, violentam. Pelo pavor da Fome devorar a vida, perde-se o limite dos muros.
A fome não fala, mas exige pela dor – suspeitava a mãe.
Todos desconhecem o tamanho de sua boca e a medida de seus braços. Ela é capaz de abraçar uma nação inteira de homens em um mesmo tempo.
Só se vê a fome quando nos espelhos a apreciamos vestidas em nosso corpo, transbordando loucura em nosso olhar. Ela chega impaciente. Orações, promessas, novenas – nada a Fome atende, respeita ou perdoa.
E a fome como por muitos.
Como o devorado ela arma grandes banquetes para os seus senhores generosamente. Em porcelana, linho, cristal, ela serve o resultado do vazio deixado no estômago dos oprimidos. Ela está sempre pronta para servir a mesa de seus donos, onde nada falta. Por comerem tanto e sempre, os patronos da Fome nunca experimentaram na carne a crueldade de sua aliada. Eles sabem de sua existência e seus lucros, sem jamais encarná-la.
(...)
Bartolomeu Campos de Queiroz, mineiro, graduado em Filosofia com especialidade em arte-educação pelo Instituto Pedagógico Nacional de Paris,escritor, poeta, conferencista e autor de publicações sobre educação e leitura. Membro do Comitê Estratégico do Leia Brasil - Programa de Leitura da Petrobras.
25/08/1944 -16/01/2012 
 
 

2 comentários:

ANTONIO NAHUD JÚNIOR disse...

Amiga, estou sempre dando uma passada pelo seu blog. Sabe como admiro sua poética. Ando por aqui em plena efervescência do lançamento de "Pequenas Histórias do Delírio Peculiar Humano". A mídia tem dado toda cobertura. Estou feliz.
Beijos

O Falcão Maltês

Jose Ramon Santana Vazquez disse...

...traigo
ecos
de
la
tarde
callada
en
la
mano
y
una
vela
de
mi
corazón
para
invitarte
y
darte
este
alma
que
viene
para
compartir
contigo
tu
bello
blog
con
un
ramillete
de
oro
y
claveles
dentro...


desde mis
HORAS ROTAS
Y AULA DE PAZ


COMPARTIENDO ILUSION
NEUZAMARIA

CON saludos de la luna al
reflejarse en el mar de la
poesía...




ESPERO SEAN DE VUESTRO AGRADO EL POST POETIZADO DE THE ARTIST, TITANIC SIÉNTEME DE CRIADAS Y SEÑORAS, FLOR DE PASCUA ENEMIGOS PUBLICOS HÁLITO DESAYUNO CON DIAMANTES TIFÓN PULP FICTION, ESTALLIDO MAMMA MIA,JEAN EYRE , TOQUE DE CANELA, STAR WARS,

José
Ramón...