Quem sou eu

quarta-feira, 7 de setembro de 2011

MINHA HOMENAGEM A VITÓRIA


VITÓRIA



Chamava-se Guanaani
e as gentes que viviam por aqui
não barganhavam moedas com suas "vergonhas".

Das miríades de pedras-colmeias emergentes das águas de sal
jorravam o mel mais doce
que o doce mel de Salomão.

Quando o desejo gritava por alimento
as mulheres lambiam o manjar abundante que escorria das pedras
- favos fálicos -
e as abelhas, complacentes,
não interrompiam o permanente estado de orgasmo
na fábrica do prazer na ilha-do-mel.

Tudo  era doçura e paz.
Quando os homens queriam mais
deixavam seus corpos boiarem nas águas e as gotas de prazer
conheciam o caminho das bocas esperantes e abertas.

Assim viviam essas gentes
contentes e livres.

Até que num entardecer,
quando o sol buscava o manto do recolhimento,
uma vela branca ao longe as tomou de assombro:
as abelhas e os zangões, em polvorosa,
cobriram de cera os corpos dos homens e das mulheres
para a inevitável batalha com o desconhecido.
Línguas de fogo e cruz invadiram os labirínticos caminhos das colmeias
e destruíram o segredo da doce produção do prazer.

Então, os deuses penalizados com tanta dor
enviaram uma branca pomba
e a instalaram para imperar soberana na Pedra da Penha.

Assim ouvi do eco dessa pedra
os ecos da história que vos narrei.
Creio nela assim como creio neste poema
e nesta Vitória onde me instalei.

                                                       Neuzamaria Kerner
                                                            08/09/2001

4 comentários:

Oswaldo Antônio Begiato disse...

Bom dia Amada,

Sem dúvida alguma, belíssima tua homenagem a Vitória.
Aliás tudo que vem de ti vem lambuzado de mel e afeto.
Parabéns.

bjos.w

Anônimo disse...

Lindo poema sobre Vitória, desculpe por não ter visto antes, é porque quase não entro neste e-mail...

Por onde tu andas, eterna ETERNA PROFESSORA?

Luis Claudio

Anônimo disse...

Olá, Neuzamaria, abri o seu blog e me deliciei com tudo o que você escreveu. Linda a sua homenagem à cidade de Vitória com o poema e fotos.
Amei tudo e, mais ainda, o COMUNICADO AMOROSO. Parabéns, vovó! Que Julia seja muito feliz. Muito amor e muita paz para você de quem à distância lhe quer muito bem e admira a sua sensibilidade e valor literário. Muitos beijos,
Anna Amélia

Anônimo disse...

Coisa linda! lerei mais quando chegar do trabalho. Estou adorando trabalhar mais para receber melhor e ter mais asas. Vitória foi minha casa durante 9 meses e continuaria a ser não fosse a morte do meu bisavô e o medo de mainha de perder os seus distantes.
Adoro essa terra.
beijos!

Rita Santana

http://barcacas.blogspot.com/
Barcaças